domingo, 28 de março de 2010

Amar sem nunca ter beijado 9°cap.

As paredes brancas, um lençol azul e a luz apagada, ao fundo uma musica tocava, me fez dormir. 
Agora sete horas da manhã, pra quem foi dormir as oito do dia anterior já não tenho mais sono. Eu sei que sonhei com ela, mas não me lembro. Quero cada vez mais poder abraça-la e dizer o quanto a amo.
Mas a viagem ate a casa de minha prima vai ser no final de semana, e ainda tem uma longa semana pela frente.

                   Sábado, 5:30 da manhã 
        
-Mãe, não esquece a escova de dente.
Ta confesso estar ansioso, muito ansioso. Afinal é hoje que a vejo.
Fomos para a casa de meus avos pegarem eles, e depois seguimos de carro até a casa da minha prima, ficamos cerca de duas horas lá e depois fomos para o salão onde a festa iria ser.
         Eram mais ou menos 10h30min da manhã, quando chego ao salão, sentei em uma mesa redonda com mais ou menos oito lugares, as toalhas eram rosa, e os talheres pareciam de prata de tanto que brilhavam, afinal 15 anos para uma garota deve ser algo parecido como 18 para nós garotos. Mas eu fiquei ali, olhando tudo, apenas esperando todos chegarem, e é claro ver a Jú.
         Lembro de estarem sentados logo atrás de mim em outra mesa, dois garotos, não via uma conversa muito produtiva, algo do tipo ‘machista’ e coisas de futebol. Até que virei meus olhos para a porta e lá vi entrar com um vestido preto que chegava até os joelhos, o cabelo loiro e os olhos azuis não me deixaram duvidas, era ela, mas com uma postura mais de mulher, quase não a reconheci, mas o jeito de andar estava igual, o tempo apesar de ter sido longo neste instante ficou curto, todo os dias de angustia e saudade sumiram, o amor parecia estar intacto, ela veio em minha direção com um sorriso no rosto e um olhar cativante, mas não parecia ... Continua no próximo post


PS1.: E ai, o que será que vai acontecer? Ela vai ir ao encontro dele? Ou não? COMENTEM
PS2.: Eu sempre peço desculpas e dessa vez não vai ser diferente, desculpem a demora entre um post e outro, pra quem postava todos os dias, uma vez por semana ta sendo pouco, mas não se preocupem NUNCA VOU ABANDONAR O BLOG. Não por enquanto.

Aos novos leitores sejam bem vindos, e aos antigos sinta-se em casa já.

Beeeeeeijos do @cezarfruhaufs

sábado, 20 de março de 2010

Amar sem nunca ter beijado 8°cap.

- Então me conta
E tive que contar toda a historia.  Que eu amava outra, que ela foi apenas uma tentativa de me fazer esquecer a Jú, e que não deu certo. Ficamos uma hora ao telefone, até que surge um silencio, confesso que o silencio me machucava mais do que as palavras, de repente ela suspira e diz:
- Não me procure mais. – agora eu estava na pior situação possível em que uma pessoa possa estas.
O tempo foi passando e as coisas mudaram muito, eu só consigo pensar na Jú, este ano não vou conseguir ir à casa da minha prima.
O tempo foi passando mesmo, no ano seguinte também não fui a casa dela. Comecei a trabalhar, o emprego e o colégio me ocuparam o tempo, que por sua vez passava voando.
Hoje faz quatro anos que não vou à casa da minha prima. Ela veio até a minha e me contou muitas coisas sobre a Jú, mas faz quatro anos que na vejo mais ela. Quem sabe nem se lembre mais de mim, ou até esta namorando.
Depois de um dia de trabalho aquele sofá parecia me seduzir, em plenas férias, o que eu queria agora era deitar ali e dormir.

Estava deitado no sofá com fones no ouvido, o sofá ficava no canto da sala, as paredes brancas, no centro uma mesinha com um vaso de flores e alguns controles remotos, no outro canto da sala a televisão ligada, passava algum seriado ou algo do gênero, a luz apagada deixava um clima meio "triste" ao local. Não sei o que senta, mas a angustia me dizia que algo ruim estava se passando com alguém.
 O Telefone toca, do outro lado uma voz feminina alegre diz:
- Oi primo
- Oi prima. Respondi feliz ao reconhecer a voz da Camila
- Então, a Fran vai fazer a festa de 15 anos, e a gente ta ligando pra te convidar você vem né?
- Claro que vou. Respondi calmo, mas com uma tremenda alegria por dentro!
 Ah, era a chance pra rever a Jú. Eu suspirava.
 Eu me alegrei tanto que desliguei o telefone e sai pela casa cantando, era o que precisava, fui até o quarto deitei na cama, abracei o travesseiro e lembrei-me das outras vezes que tinha ido a casa dela.


PS1.: E ai, o que será que vai acontecer quando eles se reencontrarem? COMENTEM
PS2.: AAAAAH, já estamos no oitavo capitulo, aaah que triste a historia esta quase chegando ao fim,  Já tem uma idéia do que vai rolar no final? então aqui é a sua chance de dizer, deixar sua idéia.
PS3.: Esqueci o que ia postar no PS3 
beeeijos e bom final de semana, amo vocês e obrigado por tudo. Ainda vamos ver as minhas historias em alguma revista ou jornal. haha viajei agora beijos ;*


@cezarfruhaufs

quarta-feira, 17 de março de 2010

Amar sem nunca ter beijado 7°cap.

- Primo, a Jú falou que você ta lindo.
- Nossa e ela? Ta linda também. – Respondi já com um sorriso que se abriu em meu rosto.
- Sim, e ela me disse também que a maior vontade dela ontem era de pular em seus braços.
            Sabe, é estranho, esse amor todo nosso, a gente nunca se beijou, apenas conversamos.
           
            Mas como da outra vez, os vinte dias ali passaram rápidos, agora estava indo embora, e ela também, mas desta vez eu ia um pouco mais feliz, mesmo ainda a gente não ter se beijado, desta vez eu disse o quanto á amava e o quanto á distancia me machucava. Eu vim pra casa, com a expectativa de voltar de novo.
Ao chegar em casa eu me dei conta que fiquei vinte dias fora e não liguei pra Jé nem um dia. Foi como se uma coisa puxa-se a outra, eu pensando nisso, e o telefone toca.
- Alô – disse ao atender o telefone.
 - Hein! Ta vivo ainda? Uma voz triste e brava ao mesmo tempo do outro lado respondeu. Era a Jê. E ainda me disse:
- Pra quem prometeu ligar todos os dias, vinte dias é bastante sem ligar né?
            O pior é que ela estava certa, a companhia da Jú me fez esquecer o tempo e me fez esquecer tudo, inclusive ela.
- Pois bem, achou outra melhor lá? Disse-me já chorando.
- Não, não foi isso.  – Respondi meio que gaguejando.
- Então me conta. .. Continua no próximo post.


PS1.: E ai, será que ele conta ou não conta a verdade? E o que será que vai acontecer? COMENTEM

PS2.: Não tem PS2 hoje haha, brincadeira aquele beijo e me segue no Twitter @garotosamam 

segunda-feira, 15 de março de 2010

Amar sem nunca ter beijado 6°cap.

Com uma voz suave e um olhar apaixonado ela me diz:
            - Cezar, me promete ma coisa?
- Claro o que você quiser. Respondi com um sorriso no rosto.
- Promete que vai me amar pra sempre? E que vamos ficar juntos a vida toda?
Nesse momento não sabia o que responder me veio mil e uma coisas na mente e destas, mil eram a Jú, como eu queria que fosse ela ali neste memento me dizendo isso tudo. Mas não era, e o pior, era alguém que eu gostava e não queria magoar dizendo, - Eu amo outra garota.
Vi-me ali, tendo que tomar uma decisão em segundos, que poderia mudar a vida de alguém.
É lógico que minha resposta foi sim, mas e daqui a três meses? Daqui a três meses e vou de novo à casa da minha prima, e provavelmente encontre a Jú lá e isso pra mim vai ser doloroso.         
            - Claro meu amor. – Respondi meio inseguro. E em um impulso ela se levanta e me beija.
O que será de nós agora? Mas a verdade é que eu acho que devemos amar quem esta perto da gente, a Juliane esta longe e talvez nunca vamos ter alguma coisas.

            É chegado o fim de ano e eu vou pra casa da Camila, hoje é dia dezessete de Dezembro e provavelmente eu volte daqui uns vinte dias, passei o dia todo com a Jê e agora a noite embargo pra casa da minha prima.
            No ônibus eu vou lembrando-se de tudo, mas principalmente da primeira vez que fui a casa dela, eu nem imaginava em encontrar uma garota perfeita e agora estou indo lá só pra ver ela.
            Ao chegar à casa da minha tia a noticia de que ela viria no outro dia me deixaram feliz e ao mesmo tempo inseguro. Estava eu deitado no sofá quando ouvi a voz dela, meu coração bateu forte, e nem tive coragem de ir até La. Ela caminhou até o quarto, trocou de roupa e ao sair o encontro que esperei um ano para acontecer, ela estava linda, ainda tinhas os cabelos longos e loiros, vestia um vestido vermelho, e um laço com uma fita no cabelo a deixava ainda mais linda. Nossos olhares foram imediatos a mesma direção, seu sorriso era como um encaixe ao meu, o tempo parou para a gente nesse momento, o seu silêncio me dizia o quanto foi dolorosa a saudade, mas que agora estava tudo bem.
            Nesta noite ela foi dormir na casa de sua avó junto com a Camila, na outro dia só minha prima voltou, quando ela chegou na porta de casa disse:
            - Primo, a Jú falou que... Continua no próximo post.


PS1.: E ai o que será que ela falou? Me sinto curioso, COMENTEM!
PS2.: AAH, mudei o disigner do blog, gostaram? Eu ADOREI. E as hstórias estam dividias  ali ao lado

Beeijos e se cuidem. AMO VOCÊS Obrigado por tudo!

CAMPANHA: mande uma frase sobre o que você acha do Blog: com uma foto e link do Twitter para: cezar_fruhauf@yahoo.com.br

sexta-feira, 12 de março de 2010

Amar sem nunca ter beijado 5°cap.

            O pior é que eu não posso fazer nada pra mudar a historia, o que um garoto de doze anos poderia fazer se a garota que ele gosta mora longe? Longe não impossível pra mim. Com doze anos eu não consigo nem sair da minha cidade que dirá do um país.
            Sim, ela mora em outro país.
            O que me deixa mais conformado é que fim do ano ela volta, e eu também, o difícil vai ser agüentar ate lá.

                        Estou indo pra Marechal Cândido Rondon com o coração
                               na mão, machucado, ferido, sofrendo e com dor sabendo
                               que seu grande amor foi em borá sem ouvir de minha boca,
                               Eu Te Amo.
Trechos da carta escrita por mim para ela, na volta para casa, ainda no ônibus




Já estou na minha cidade, mas nada faz sentido sem ela comigo.
Faz dois meses que não a vejo, não tenho noticias, não tenho fotos, apenas lembranças.
Hoje beijei uma garota e por alguns minutos eu tive a sensação de estar beijando ela. Cada dia que passa é mais difícil, às vezes eu até esqueço-me dela, mas ai toca uma musica, ou vejo coisas e ai vem tudo. Estou decidido quero hoje dormir e amanhã acordar e ter lá esquecido

                        6 meses depois

            - Mãe pega minha mochila?
            - AH, Jê vai passar aqui?  - pergunta minha mãe
            - Sim.
                        AH, Jê é minha namorada, há exatos três meses, eu não a amo como ama a Jú, mas confesso que ela me faz esquecer-se das coisas que passei. Ela vem aqui em casa todos os dias, nós vamos juntos ao colégio, mas hoje depois do colégio vamos a um lago aqui perto com alguns amigos para jogar conversa fora e namorar um pouco.
                         
                        Em algum lugar do lago
Estávamos sentados a beira do lago, ao longe o sol se Poe, era um pouco frio, jogávamos farelos de biscoitos na água para os peixes virem se alimentar, com uma virada de corpo ela se deita em colo e ficamos olho a olho, com uma voz suave e um olhar apaixonado ela me diz:
Continua no próximo post.




PS1.: E ai o que ela vai dizer? Amanhã mais um capitulo! Então COMENTEM
PS2.: Desculpem a demora pra postar, mas ainda naquele mesmo problema!
Beijos AMO VOCÊS e obrigado por tudo <3

quarta-feira, 3 de março de 2010

Amar sem nunca ter beijado 4°cap.

No outro lado da rua me surpreendeu ao ver um coração com meu nome dentro. Esse amor estaria sendo correspondido?  Perguntava-me.
            O dia passa a noite vem, estávamos na frente da casa da minha prima, mas eu não estava ali, quer dizer meu corpo sim, mas meu pensamento estava longe.  
- Cezar, você ta com cara de apaixonado! – Disse minha prima
- Eu, apaixonado? Haha - Respondi meio sem jeito
-Ah, ta sim, é a Helo?
- Não, eu não to apaixonado
- Ah, é a Jú né?
            Ta, eu não consegui mentir nem dizer um não, eu nem mesmo consegui falar.
- haaaaaaa, ta apaixonado sim *----*, pela Jú
            Mal sabia eu que no outro dia, ela iria à casa dos avos dela e a Jú estava lá. Ela contou tudo e quando chegou em casa disse
- Primo, falei pra Juliane que você gosta dela!
- E ela falou o que? Quer dizer, não acredito que vcê fez isso.
- Sim, e ela também gosta de você
            Ta chega. Meu mundo tipo explodiu!
- Mas tem um problema ela agora esta longe.
            E eu nem pude dizer que gosto de ouvi-la falar, de vê-la caminhar, que gosto do seu sorriso, nem ao menos a beijei.
            O pior é que ... Continua no próximo post!


PS1.: AAAAAAAAAAAAH, não acredito como assim meu Deus? Ela já foi e ele nem beijou ela, mas o que é pior? COMENTEM
PS2.: eu queria dizer no PS2 que eu amo vocês de coração. Obrigado por tudo *-------*